Baixe grátis livros de receitas do Sesc com uso total de vegetais

Uma das consequências do isolamento social, para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19), é a reaproximação das pessoas das panelas, do fogão e da mesa na hora de preparar e desfrutar o café da manhã, o almoço e o jantar. Para evitar ir com muita frequência ao supermercado, a ideia é aproveitar todo o potencial das frutas, verduras, hortaliças e dos legumes. Nesse cenário o Mesa Brasil Sesc, um Programa de Segurança Alimentar e Nutricional criado em 1994 – baseado em ações educativas e de distribuição de alimentos excedentes ou fora dos padrões de comercialização, mas que ainda podem ser consumidos –, junta esses dois cenários e desenvolve receitas, que ajudam na redução do desperdício no dia a dia por meio do aproveitamento integral dos alimentos.

Um dos livros de receitas que pode ser consultado e baixado; edição do Sesc Rio de Janeiro de 2018 (reprodução)
No início do texto, panquecas de aveia e espinafre; acima, bolinhos de feijão com casca de banana, molho de cebola e rapadura. Todas as fotos de receitas são do livro Pensando dentro e fora da casca (fotos Hélio Melo)

Um cardápio bastante variado de receitas pode ser encontrado no site do Mesa Brasil Sesc. “Uma das linhas de trabalho do programa é a educação alimentar, que ressalta o valor nutritivo de partes dos produtos que costumam ir para o lixo, como por exemplo talos, folhas, cascas e sementes”, explica o Sesc por meio de um comunicado.

O brigadeiro trufado com semente de abóbora

Assim que você clica no referido site, há quatro links para uma série de publicações do Sesc que podem ser consultadas e baixadas gratuitamente. São dezenas de receitas de pratos doces, salgados e bebidas com ingredientes que normalmente são descartados. Um exemplo é a receita de arroz tropical, que leva casca de melancia, abóbora e melão. Pra quem gosta de doce, há a receita irreverente de brigadeiro trufado com semente de abóbora.

Outro título produzido pelo Sesc (reprodução)
Estrogonofe de talos de couve e brócolis
Bolo de borra de café

“E há vantagens adicionais no uso integral dos alimentos, porque há partes que tradicionalmente são descartadas e têm entre duas a seis vezes mais nutrientes do que a polpa. A casca da laranja, por exemplo, tem seis vezes mais fibra, além de mais potássio, cálcio e quantidade igual de vitamina C que a polpa. A rama da cenoura tem vitaminas A e C, além de fibra. Já a folha da beterraba é rica em vitamina A”, assegura o Sesc.

Aproveite o ótimo trabalho do Sesc e acesse os livros. Bom apetite!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s