Ramen com pasta de gergelim é destaque do Hirá (SP)

Ramen com pasta de gergelim é destaque do Hirá (SP)

por Claudio Schapochnik

No final de janeiro passado, mais precisamente no aniversário da cidade de São Paulo, dia 25, fui conhecer um restaurante japonês na Vila Madalena (Zona Oeste da cidade). Então celebrei os 467 anos do município com a gastronomia de um povo que contribuiu, contribui e contribuirá para o desenvolvimento local e do País como um todo — e do qual tenho muito respeito e muita admiração.

A escolha foi meio que aleatória. Queria um bom lugar, um preço razoável e perto de casa. Acho que o Hirá Ramen Izakaya foi uma boa pedida. Localizado na Vila Madalena, a casa é bonita, com decoração contemporânea que destaca as origens nipônicas do cozinheiro e proprietário, Daniel Hirata. Salão grande, arejado e com itens que respeitam as normas para barrar o avanço do novo coronavírus.

O restaurante, acredito, é bastante conhecido pelos izakayas, o que conhecemos por aqui como pestiscos, servidos em pequenas porções para serem degustados junto com um drinque ou uma cerveja, por exemplo.

No alto o Tan Tan Ramen que pedi na casa e, acima, parte dos cuidados com a Covid-19 (fotos Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

Não conheço a fundo a culinária japonesa, e ao ler o cardápio fui num prato que me conforta e me satisfaz profundamente: o ramen, mais conhecido por lamen nestas bandas brasílicas e que tem raízes chinesas.

Pedi o Tan Tan Ramen (R$ 45) — levemente picante, macarrão no caldo ton tori chintan, temperado com pasta de gergelim, com porco hoisin, ovo cozido, naruto, brotos, wakame, nori e cebolinha. Perguntei ao garçon, um senhor simpático e que sabia explicar as opções, o que era o porco hoisin. “É carne moída”, respondeu-me. Ouvi e quase iria mudar, mas acabei confirmando.

Minha esposa foi de peixe assado. Ela pediu uma anchova (R$ 45): posta servida acompanhada de gohan (arroz) e legumes.

O prato de minha esposa
Um dos graffitis que fotografei perto do restaurante, de autoria do grafiteiro e artista plástico paulistano Júlio Barreto

Entre o pedido e a chegada do pratos, praticamente fiquei ausente do restaurante. Na chegada vi alguns graffitis e, depois, naquele ínterim, fui fotografá-los com o celular. Ah! Vale destacar que o restaurante tem louças muito bonitas.

EXPERIÊNCIA
O Tan Tan Ramen chegou bem quente, como gosto. Na primeira colherada, já fiquei “doido” com o gosto do gergelim e o sabor que, pelo menos para mim, lembra o defumado. Show! Caldo ótimo, bem temperado! O macarrão também estava saboroso.

Em relação ao porco hoisin, deveria ter respeitado o meu “feeling”… Neste caso, não foi legal comer a carne suína moída, que ia se espalhando pelo caldo à medida que ia me servido. Prefiro, agora mais do que nunca, que a carne no ramen seja fatiada. O ovo, ou melhor, a metade do ovo estava muito boa, com a gema molinha. Por que não colocam as duas metades do ovo?

O meu Tan Tan Ramen: muito bom
A metade do ovo com esta gema maravilhosa

Apesar da carne moída, o Tan Tan Ramen estava muito gostoso, com destaque para o sabor defumado que a pasta de gergelim deu ao caldo.

Provei o prato de minha esposa e curti também: peixe saboroso, legumes bem variados e um gohan perfeito. Gostei bastante.

Valeu o almoço na casa. Voltaria, sim, talvez para também provar algum izakaya.

SERVIÇO:
Hirá Ramen Izakaya
Rua Fradique Coutinho, 1.240, Vila Madalena, São Paulo/SP
Cardápio
Horário: diariamente — almoço: 12h às 15h, e jantar: 19h às 22h
Tel. (11) 3031-3025
www.hiraramenizakaya.com
Instagram

Deixe uma resposta