Linguiças da Real Bragança (SP) têm DNA italiano de séculos

por Claudio Schapochnik

Quando alimentos e histórias de vida se cruzam parece que o sabor tem uma experiência mais apurada. É assim que faço a leitura das deliciosas linguiças da Real Bragança Linguiçaria, da super simpática chef Patrícia Polato, com sede na Capital Brasileira da Linguiça – Bragança Paulista, distante 87 quilômetros da capital paulista. Provei duas variedades defumadas no evento do governo do Estado de São Paulo chamado “Feito em São Paulo”, realizado em outubro do ano passado no Memorial da América Latina.

Ao conversar com a chef Patrícia, ela me contou, com todo o orgulho, claro!, que integra a “décima geração de mulheres linguiceiras”. Esta linhagem familiar começou em 1763 na Itália e, depois, aqui no Brasil. “Minha bisa imigrou para o Brasil e para cá trouxe essa tradição”, disse ela ao Que Gostoso!.

A chef Patrícia Polato exibe uma de suas receitas de linguiça (fotos Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

Em Bragança Paulista, a chef conta que a fama da linguiça voltou com a projeção do time de futebol local, o Bragantino, e do próprio município nos anos 1990. Naquela década o Braga, como é também conhecido, foi campeão paulista da Primeira Divisão (1990), vice-campeão da Série A do Campeonato Brasileiro (1991) e disputou a Copa Conmebol (1992 e 1993).

Nessa arrancada, a chef Patrícia recorda que nos anos 2000 foi fundada a Associação dos Produtores de Linguiça de Bragança Paulista (Albrag), da qual a sua empresa é associada. “Foi um ato muito importante, pois a entidade resgatou os fabricantes de lingüiça de cidade, deu uma cara institucional que não havia.”

Segundo a chef Patrícia, com exceção do abate do porco, a cadeia produtiva da linguiça é 100% realizada em Bragança Paulista. “Somos a única empresa que produz as linguiças de forma artesanal”, assegura ela. “E conservamos as receitas tradicionais”, emenda.

A linguiça defumada tradicional: ótima
A logomarca da entidade (reprodução da página do Facebook)

PROVA
No cheio estande da Real Bragança Linguiçaria no “Feito em São Paulo” consegui provar duas variedades de linguiças defumadas da empresa: a tradicional e a com laranja, páprica e pimenta rosa (foto no início do texto).

Hummm… Ambas são muito boas e ideais para um aperitivo com uma boa bebida (cerveja, caipirinha etc). Gostei do gosto um tanto cítrico da variedade que leva laranja, páprica e pimenta rosa. Ficou diferente. A tradicional é um show. Ponto.

Patrícia Polato exibe outra de sua receita de linguiça: muito boa também

Mas mais do que provar e gostar das linguiças da chef Patrícia é constatar a paixão com que ela fala de suas heranças e de seus produtos. Você sente esse amor presente naqueles embutidos. Incrível como faz diferença. Quando tudo isso passar, essa pandemia do novo coronavírus (Covid-19), uma ida a Bragança Paulista para rever a chef e comprar umas delícias na sua loja é avaliada.

Recomendo os produtos da Real Bragança Linguiçaria.

SERVIÇO:
Real Bragança Linguiçaria
Avenida José Gomes da Rocha Leal, 291, Centro, Bragança Paulista/SP
Whats App: (11) 97281-7924
www.linguicariarealbraganca.com.br

2 comentários sobre “Linguiças da Real Bragança (SP) têm DNA italiano de séculos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s