É fácil gostar de Rouen, com rica história e gastronomia

por Claudio Schapochnik

Pertinho de Paris – a 140 quilômetros a Noroeste e cerca de 1h30 de trem –, Rouen se apresenta ao turista com um riquíssimo patrimônio histórico-cultural e gastronomia variada da terra e do mar, possui calçadões e igrejas enormes e é cortada pelo rio Sena – sim, o mesmo que cruza a Cidade Luz. Capital da região da Normandia, a cidade foi fundada no século 1 pelo imperador romano Augusto sob o nome de Rotomagus.

Para quem gosta de turismo gastronômico, Rouen e região têm muito a oferecer. Vale a pena ficar três, quatro ou mais dias por lá. Garanto que não faltarão atrativos interessantes para conhecer e provar, no caso, comidas e bebidas típicas de lá, como a maçã e os derivados da fruta (como a cidra; foto acima); as vieiras (Coquille Saint Jacques, em francês); os queijos com denominação de origem controlada, como o neufchâtel; as geleias; a rota das frutas etc.

A Catedral de Notre-Dame de Rouen (foto J. F. Lange)
Vieiras ainda nas conchas: muito apreciadas em Rouen (fotos Rouen Normandy Tourism & Congress)
Aqui um lindo prato com vieiras de restaurante em Rouen

Eu tive o prazer de conhecer Rouen em 2017. Agora dou algumas dicas da cidade com outras trazidas pela gerente de Marketing, Promoção e Parcerias do Rouen Normandy Tourism & Congress, Yannick Bugeon.

Ela esteve recentemente em São Paulo, junto com outros executivos de cidades da Normandia, para um encontro com jornalistas. O road show, que passou por outras cidades, foi organizado pela CC Hotels, de Christiane Chabes, que representa vários municípios normandos no Brasil.

Rouen é a cidade natal de Gustave Flaubert (1821-1880), autor, entre outros, do clássico Madame Bovary. A casa de Flaubert abriga o museu sobre sua vida e obra.

Outra personagem famosa da França, que morreu em Rouen, é Joana D´Arc. Em 1431, aos 19 anos, ela foi queimada viva acusada de heresia por um tribunal eclesiástico. Suas cinzas foram jogadas no rio Sena. Na cidade há, inclusive, um super museu hightech que aborda a vida da heroína – o Historal Jeanne D´Arc.

A gerente de Marketing, Promoção e Parcerias do Rouen Normandy Tourism & Congress, Yannick Bugeon, em São Paulo (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

JOANA D´ARC
Vale a pena conhecer este museu sobre a heroína e santa padroeira da França. No Historal Jeanne D´Arc, no centro, o visitante conhece toda a vida dela por meio da tecnologia, com projeções holográficas sensacionais e áudio-guias. As cenas foram gravadas com um elenco muito bem caracterizado como na época do século 15.

A vida de Joana se passa durante a Guerra dos Cem Anos, entre a França e a Inglaterra, entre 1337 e 1453. Nascida numa família de proprietários rurais, Joana quando criança teria ouvido anjos falarem sobre uma missão: ser religiosa e expulsar os ingleses do território francês.

Interior do museu dedicado à Joana D´Arc…
…super hightech, com projeções e holografias

E assim ela cumpriu. A heroína combateu e ajudou a expulsar os ingleses da França, ao final da guerra. No entanto, em 1430, ela foi capturada pelos integrantes da Casa da Borgonha, aliados dos ingleses. Estes a entregaram a um tribunal católico, que a julgou e condenou a morte, na fogueira, entre outros motivos, por “se vestir de homem” para guerrear.

A duração da visita ao museu vale muito.

Logo após o museu da Joana D´Arc, a dica é se deixar perder pelas ruas e vielas, lembranças vivas da época medieval de Rouen. Você vê ainda enormes igrejas católicas. Dessacralizada e datada do século 8°, a Abadia de Saint-Ouen chama a atenção pelo tamanho (137 metros de altura), pelo órgão e pelos lindos vitrais.

Há ainda a Catedral de Notre-Dame de Rouen, que começou a ser construída no século 12 com estilo sobretudo gótico. As esculturas na fachada e os vitrais são lindos.

Talvez o ponto mais fotografado de Rouen, da época medieval, é o maravilhoso Gros-Horloge. O grande relógio fica em cima de uma passagem e data de 1375.

O famoso Gros-Horloge
Casario típico do centro de Rouen; vários funcionam como restaurantes e hotéis

TEMPO MEDIEVAL
Há uma outra forma de você conhecer o passado medieval de Rouen. Basta visitar o incrível Panorama XXL, uma obra assinada pelo artista austríaco Yadegar Asisi. A partir da mescla de diversas linguagens artísticas e de áudio, uma minuciosa história ganha vida na parede de um gigantesco cilindro.

Quando eu o visitei, o Panorama XXL mostrava Rouen em 1431 – Na época de Joana D´Arc. Lá dentro vi a apresentação do alto de uma plataforma de 15 metros de altura. Nas paredes a cidade como era séculos atrás com perfeição de detalhes. Agora há a apresentação Titanic sobre o famoso navio que naufragou em 1912. Super recomendo a ida ao lugar.

Praça no centro de Rouen

Depois desta atração a dica é espairecer e caminhar junto ao rio Sena. Ou, outra dica: vá num mercado, compre (não é caro) uma garrafa de sidra (espumante de maçã) ou de poiré (espumante de pêra; fala-se poarrê), deixe gelar no minibar do seu quarto no hotel e saboreie – com moderação, é claro – estas bebidas deliciosas e típicas da Normandia. O lugar deixo para você escolher: no quarto ou em uma praça da cidade. Não custa lembrar: depois de beber, jogue no lixo a garrafas e os copos de papel ou plástico.

TURISMO GASTRONÔMICO
Depois de conhecer Rouen, agora dedique alguns dias para explorar a rica gastronomia do entorno da cidade. Uma super dica do Rouen Normandy Tourism & Congress é percorrer os 62 quilômetros por bicicleta na Rota das Frutas. No caminho, além dos pomares, há incríveis patrimônios históricos, como a Abadia de Jumièges.

Nesta parte da Normandia, no século 7, os monges da abadia cultivavam videiras e, a partir do século 17, os religiosos substituíram a cultura da uva pela da macieira e pereira. Ameixeiras, cerejeiras e groselheiras, entre outras espécies, passaram a ser cultivadas mais tarde.

Maçã: fruta é bastante cultivada na Normandia

Na rota você pode visitar os pequenos produtores, fazer degustações e comprar frutas e produtos à base, como geléias, bebidas etc. Deve ser sensacional este passeio! Para mais informações, clique aqui.

Outra dica do Rouen Normandy Tourism & Congress é sobre os quatro queijos que têm denominação de origem controlada (appellation d´origine contrôlée, em francês) da região normanda. Ou seja, só podem ser produzidos apenas neste território. Confira quais são: livarot, pont-l´évêque, camembert da Normandia e neufchâtel. Todos são fabricados com leite de vaca cru.

Logo da deliciosa Rota dos Queijos oficiais da Normandia (imagem Route des fromages aop de Normandie)

Destes quatro queijos, o mais antigo documentado é o neufchâtel – desde 1035! Recebe este nome em homenagem à pequena cidade de Neufchâtel-en-Bray (5 mil habitantes), localizada em Seine-Maritime, no eixo da rodovia de Rouen a Abbeville.

Alguns dos queijos produzidos na Normandia

Há (meu Deus!!!) uma Rota do Queijo, sabia? No roteiro dá para você visitar produtores, queijarias, cidades e restaurantes. Quer saber mais? Está tudo aqui.

Bon voyage et bon appétit!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s