Nova rota enogastronômica chilena foca Brasil

por Claudio Schapochnik

Dez empresários da cadeia do vinho do Valle de Casablanca, no Chile, juntaram as forças e os interesses, conseguiram apoio financeiro governamental de US$ 70 mil e criaram uma rota voltada especialmente ao mercado brasileiro. Com o nome de Vinícolas de Autor, Valle de Casablanca – Chile, os integrantes e as possibilidades de roteiro foram apresentadas na semana passada em São Paulo, aproveitando a realização da feira de turismo WTM Latin America.

A rota ganhou este nome porque, de fato, o vinho é elaborado pelas mãos das famílias dos proprietários. A região, próxima ao mar, estimula não apenas a produção de vinhos – principalmente com as uvas chardonnay e sauvignon blanc –, mas também a gastronomia à base de pescados e de frutos.

Raúl Gueren (Bodegas Re), Gonzalo Donoso Vásquez (Macerado), Angela Mochi (Attilio & Mochi), Lucía Quintino (Hotel Casablanca BCW), Angélica Romero (Casa Romero), Evelyn Farías (El Cuadro), Judith Figueroa (La Recova) e Charles Villard (Villard) no evento para a imprensa em São Paulo (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

O foco no Brasil tem base mercadológica bastante sólida. Segundo números oficiais do turismo do Chile, 42% dos turistas que visitam vinícolas no país são brasileiros. Em relação ao vinho fino, o Brasil importa 75% do que bebe. Desta porcentagem, 43% vêm das vinícolas chilenas.

Casablanca é o nome de uma pequena cidade (fundada no século 18) e de um vale entre a capital do país, Santiago, e Valparaíso, no litoral. É a representante chilena na Rede de Capitais de Grandes Vinhedos – Great Wine Capitals.

“O município é uma graça, tem apenas 30 mil habitantes e onde as pessoas praticam a siesta – o descanso após o almoço no comércio”, descreveu a brasileira e “porta-voz” do grupo de empresários locais, Angela Mochi, da Vinícola Attilio & Mochi, durante encontro com jornalistas na capital paulista.

Segundo ela, o destino é muito perto de Santiago. “Fica a apenas uma hora de carro ou, se a pessoa vier direto do aeroporto, fica a apenas 40 minutos”, disse a produtora que veio com marido, também brasileiro, para o Chile fazer vinhos.

O chef e gerente do restaurante Macerado, Gonzalo Donoso Vásquez, preparou um delicioso ceviche no evento…
…como este, que comi, com muita pimenta e sem nada de coentro: muito bom!

PAIXÃO PELO QUE FAZ
Dos dez empresários que se juntaram na rota Vinícolas de Autor, Valle de Casablanca – Chile, seis são produtores de vinho, três são da área da Hospitalidade e um de restaurante.

De acordo com Angela, o grande apelo da rota é que o turista vai ser recebido pelos donos dos negócios. “É uma gente apaixonada pelo que faz, que vai receber o visitante com todo o carinho e toda a atenção”, destacou ela.

Ideal para casais e grupos de até 15 participantes, as visitas às vinícolas contam com degustações, almoço ou atividades. As visitas podem ser de um, dois ou mais dias – tudo depende do interesse do turista. Atividade é o que não falta.

Confira abaixo uma pequena descrição de cada um dos integrantes da rota:

Trecho do vinhedo da Viña La Recova (fotos divulgação/Vinícolas de Autor)

Viña La Recova: vinícola butique que produz vinhos a partir de uma única variedade, a sauvignon Blanc;

Uvas do vinhedo da Attilio & Mochi

Attilio & Mochi: produz oito variedades diferentes de uvas, incluindo a primeira grenache de Casablanca e o malbec, que foi eleito o melhor vinho do Chile. Toda a plantação das uvas é orgânica e irrigada por energia solar;

A ampla loja da Bodegas Re

Bodegas RE: possui diferencial com vinhos inusitados e que resgatam procedimentos antigos de produção, utilizando ânforas de barro;

Villard Fine Wines: vinícola familiar (foto no início do texto/divulgação) que produz tintos e brancos desde o início da década de 1990. Oferece refeições com harmonização;

A hora da degustação na Casa Romero

Viña Casa Romero: elabora as uvas mais tradicionais do Valle de Casablanca como sauvignon blanc, chardonnay e pinot noir, utilizando tanques de inox, que permitem monitorar a temperatura e manter a fermentação controlada;

Viña Casa Roca: uma das poucas vinícolas do Chile dedicada inteiramente à produção de vinhos 100% naturais e espumantes premium. É um projeto vinícola-butique;

Casa Macayre: mansão de campo chilena, possui 1.200 m2 e sete quartos cercados por 50 hectares de vinhedos e arvores nativas. Acomoda até 15 pessoas e o hóspede pode optar por contratar serviços locais;

O vinhedo da El Cuadro

Estancia El Cuadro: complexo enoturístico que apresenta estrutura, principalmente para casamentos, em meio à paisagem;

Vista parcial da Hotel Boutique BCW

Hotel Boutique BCW: oferece apenas dez apartamentos, com atendimento exclusivo dos proprietários. Há sauna, ofurô nos jardins e o que chamam de forma simpática, de piscina Pinot Noir – construída com azulejos das cores desse vinho;

O chefe e gerente do restaurante, Gonzalo Donoso Vásquez, de azul (foto Dario Vargas)

Restaurante Macerado de Algarrobo: eleito uma das melhores casas do Chile, traz um menu de pratos de cozimento longo e grelhados, valorizando ingredientes locais e pescadores nativos.

As tarifas são muito competitivas. Para saber detalhadamente as atividades e os preços, clique aqui. Deu muita vontade de conhecer…

SERVIÇO:
Vinícolas de Autor – Valle de Casablanca, Chile
Facebook, Instagram

Um comentário sobre “Nova rota enogastronômica chilena foca Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s