"Sebrae Origens" exibe produtos 100% brasileiros

“Sebrae Origens” exibe produtos 100% brasileiros

DA AGÊNCIA SEBRAE DE NOTÍCIAS

O Sebrae está lançando um novo conteúdo no portal que é o resultado de décadas de trabalho em favor da consolidação e do reconhecimento das Indicações Geográficas (IGs) brasileiras. O Portal Sebrae Origens reúne um vasto conteúdo que oferece ao público interessado uma ampla compreensão da importância das IGs para a economia e para os pequenos negócios do País envolvidos na elaboração de produtos oriundos de territórios reconhecidos pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) e que valorizam a tradição, a cultura e a biodiversidade.

“Pretendemos atingir, com esse site, todos os brasileiros potenciais consumidores das IGs, na forma de acesso aos produtos e de visitas a essas regiões, assim como os pequenos negócios que comercializam esses produtos, tais como restaurantes, bares, cafés, confeitarias, hotéis, lojas de produtos artesanais”, ressalta a analista de Inovação do Sebrae, Hulda Giesbrecht.

De acordo com Hulda, o site pode ser expandido com versão em outros idiomas, como espanhol e inglês para alcançar mercados no Exterior. “Vamos ampliar sempre que as novas Indicações Geográficas forem reconhecidas pelo Inpi. O site poderá ser usado como uma referência para os brasileiros programarem suas viagens para conhecer regiões com produtos únicos e vivenciar o saber-fazer das pessoas que lá vivem”, acrescenta ela.

No alto a linguiça Maracaju, originária do município homônimo no Mato Grosso do Sul (foto internet) e, acima, a bebida cajuína (foto Claudio Noroes)

QUALIDADE DE VINHOS
Em maio do ano passado, por exemplo, a Campanha Gaúcha, região vitivinícola do Rio Grande do Sul – que faz fronteira com o Uruguai e a Argentina, ganhou a Indicação de Procedência (IP) para os vinhos finos brancos, rosés, tintos e espumantes. O selo, concedido pelo Inpi, reconheceu a reputação do território na elaboração de vinhos com qualidade e características únicas.

Uma das empresas beneficiadas é a vinícola Batalha Vinhas & Vinhos, com dez anos de história, que faz parte da Associação Vinhos da Campanha Gaúcha. “A nossa vinícola é a transformação de sonho em uma realidade rentável de três engenheiros agrônomos. Nos associamos, começamos a plantar uvas e montamos a nossa vinícola”, conta o empresário Giovâni Silveira Peres.

A associação enfrentou um processo para conseguir a IP, cujo projeto teve apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), coordenado pela Embrapa Uva e Vinho de Bento Gonçalves (RS). “Atualmente, todas as empresas que produzem vinho na região e se enquadram nos pré-requisitos técnicos podem usar o selo da IG”, enfatiza Peres.

RELEVÂNCIA
Atualmente a Indicação Geográfica (IG) é importante para os pequenos negócios, pois é considerada um diferencial competitivo que garante mais oportunidades para as regiões. Além disso, esse signo permite a valorização dos produtos tradicionais brasileiros e a herança histórico-cultural, protegendo as regiões produtoras.

Nesse contexto, o legado agrega à área de produção definida, tipicidade, autenticidade com que os produtos são desenvolvidos e a disciplina quanto ao método de produção, garantindo um padrão de qualidade. Tudo isso confere uma notoriedade exclusiva aos produtores da área delimitada.

O queijo Minas Canastra, com o selo de autenticidade (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

PROPRIEDADE INTELECTUAL
No dia 26 de abril comemora-se o Dia Mundial da Propriedade Intelectual (PI). Neste ano, o tema da celebração será “PI e as Pequenas e Médias Empresas (PME): levar suas ideias ao Mercado”. O objetivo da data é reforçar a importância do tema para a inovação e criatividade. A obtenção de um registro de PI garante às empresas o direito de usar o ativo, comercializá-lo e impedir a utilização indevida por terceiros. O Sebrae está atento a esse tema e tem desenvolvido diversas parcerias com diferentes ministérios e com o Inpi no sentido de assegurar que as MPE também tenham acesso de forma mais rápida e desburocratizada ao registro da PI.

Além da proteção, o registro agrega valor aos produtos ou serviços, garantindo mais competitividade no mercado, inclusive fora do País. São vários os ativos possíveis de serem protegidos, desde a marca, invenções (patentes), desenho industrial, programa de computador e IGs. As Indicações Geográficas são o reconhecimento da notoriedade e do vínculo de uma região na produção de um bem ou um serviço e ajudam a proteger esse conhecimento. Desde 2003, as IGs brasileiras recebem apoio do Sebrae.

Deixe uma resposta