Vinho, pão e queijo no quarto da pousada em Joanópolis (SP)

por Claudio Schapochnik

Em quase toda viagem que faço há uma noite, pelo menos, que faço um lanche no quarto – seja do hotel ou da pousada. Na gostosa Joanópolis, no interior de São Paulo, não foi diferente. Na segunda-feira (dia 24/2), durante o carnaval, eu e minha esposa resolvemos comer na pousada onde ficamos hospedados. Desta vez foram quatro ingredientes: biscoito de polvilho com cobertura de queijo, pão francês e queijo muçarela nozinho, para comer, todos locais, e vinho israelense, produzido no Golã, para beber. Com exceção do pãozinho, foi muito gostoso!

Como havia vinho, peguei dois copos da pousada assim que chegamos de um ótimo dia de passeios e banho de cachoeira.

Compramos as coisas para comer em dois lugares. O queijo muçarela nozinho, que aprendi a comer e a gostar com o meu querido e saudoso papai, Edison (Z´L, 1931-2014), é da Laticínios Pé da Serra – Estrada dos Bonifácios, s/n°, Km 3, Bairro Bonifácios, tel. (11) 4539-9733. Fomos à loja de fábrica, que abre diariamente das 8h às 18h. Tem bastante coisa gostosa por lá.

O lanche em cima da cama (fotos Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

Já no centro de Joanópolis, fomos à padaria Pão da Montanha – Avenida Antônio Ferreira de Almeida, 275, em frente à rodoviária, tel. (11) 4539-9457. Comprei algumas gramas, o suficiente para encher um saco médio, de biscoito de polvilho com queijo, assado também, por cima; dois pãezinhos franceses; e uma garrafa de 1,5 l de água sem gás.

Nossa… O pão francês era péssimo, um horror! Enorme, bem inchado, daqueles que quando você pressiona começa a se desfazer, só ficando o miolo… Características que podem indicar o uso de um produto químico condenado pelas autoridades sanitárias para deixar o produto mais atrativo. Compraria novamente? Claro que não!

E a água então? Meu Deus! Sei que muita – põe muita –padaria por este Brasilzão adora “enfiar a faca” nos preços, levando-os à exosfera. A Pão da Montanha faz parte deste rol de panificadoras. A garrafa de 1,5 l custou R$ 6 ou R$ 6,50!!! Metade do que gastei neste lugar. PQP! Poderia ter comprado em outro lugar, sim, poderia. Mancada minha.

Meu gasto na padaria: metade deste valor é de uma garrafa d´água

O vinho tinto, produzido no Golã, no Norte de Israel, era um Hermon meia garrafa da vinícola Golan Heights Winery. Incorpado e forte, estava ótimo.

Comemos o nosso lanche na cama do quarto. Primeiro o polvilho, uma delícia. Depois o sofrido pão inchado e o bom queijo nozinho, aos goles do vinho de Israel. Até o próximo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s