A beleza e a omelete do Mont Saint-Michel, na França

por Claudio Schapochnik

Uma das construções mais belas feitas pelo homem, em meio à uma natureza incrível, e um dos ícones da França, a abadia do Mont Saint-Michel merece ser visitada. Foi o que fiz em 2017. A construção ocupa parte de uma pequena ilha (foto acima) que, quando a maré está baixa, fica unida ao continente. Na parte de baixo há casas, hotéis, lojas e restaurantes e, na parte de cima, a abadia que começou a erguida na segunda metade do século 10 pelos beneditinos.

De quebra, na hora da fome, prove uma das iguarias locais – o omelete criado por Annette Poulard em 1888. Annette foi, além de cozinheira de mãos cheias, uma empreendedora junto com o marido, Victor. Naquele ano o casal abriu a pequena pousada Auberge La Mère Poulard, que hospedava e alimentava os peregrinos que visitavam a abadia.

O Mont Saint-Michel fica no departamento da Mancha, na região da Normandia, no Norte da França. Foi o primeiro monumento francês inscrito na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco, em 1979, e recebe cerca de 2,5 milhões de turistas por ano.

A gerente de Vendas do grupo La Mère Poulard, Marie-Laure Delpoux-Heslouin, na visita que fez a São Paulo (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)
Que vista! Um dos apartamentos do hotel Le Relais Saint-Michel, do grupo La Mère Poulard (fotos divulgação/La Mère Poulard)
Fachada do hotel Mouton Blanc, que fica na ilha, também de propriedade do grupo La Mère Poulard

Mont Saint-Michel é ainda o nome de uma cidadezinha turística por excelência, situada ao lado da foz do rio Couesnon, que deságua no mar em frente à famosa ilha.

Para ir à ilha, a partir da cidade, é só seguir a única avenida do lugar e depois atravessar a ponte. Um ônibus que faz este trajeto (grátis), mas é melhor ir a pé para curtir a paisagem e fazer muitas fotos.

A construção de uma abadia no lugar origina-se de um sonho de Saint Aubert, bispo de Avranches. Ele sonhou com São Michel, que apareceu por três vezes em 708. O lugar ganhou status de culto a este santo, e a abadia foi erguida a partir do no século 10 pelos beneditinos.

Uma muralha, erguida nos anos 1.200, circunda a ilha. Uma vez lá dentro, você volta à Idade Média. Incrível como a arquitetura te remete ao passado.

A abadia do Mont Saint-Michel
A entrada do hotel que deu origem à fama de Annette Poulard, a Mère Poulard…
…e um dos quartos do hotel do grupo francês

Mais tarde o Mont Saint-Michel foi ponto de resistência dos franceses contra os ingleses durante a Guerra dos Cem Anos, ocorrida nos séculos 14 e 15. Em decorrência da Revolução Francesa, em 1789, os monges abandonaram o Mont Saint-Michel. A abadia virou uma prisão entre 1793 e 1863.

No interior da abadia não há praticamente arte sacra e sobra o estilo arquitetônico gótico. No terraço, o visitante vê o continente e o mar e a vilazinha abaixo. Paisagens exuberantes.

Desde Paris, a viagem ao Mont Saint-Michel leva cerca de 3h no total com trem e ônibus. O interessado deve pegar o trem na estação Montparnasse com destino a Rennes. Na mesma estação há ônibus que levam ao destino final. Para saber os horários nos dois sentidos, clique aqui.

HOSPEDAGEM E ALIMENTAÇÃO
Para quem quiser ficar na ilha ou continente, há várias opções de hotel, de várias classes, e restaurantes. Com o nome, indicado no início do texto, o grupo La Mère Poulard é o maior nestas duas áreas no lugar. Reúne seis hotéis – três na ilha e três no continente – e oito restaurantes – cinco na ilha e três no continente.

“Somos o maior grupo de hotéis e restaurantes no Mont Saint-Michel”, disse a gerente de Vendas da empresa, Marie-Laure Delpoux-Heslouin, em recente viagem ao Brasil, onde reuniu-se com jornalistas em São Paulo.

Funcionários preparam o famoso omelete criado por Annette Poulard em 1888, em um dos restaurantes do grupo La Mère Poulard
As bolachas e os cookies com a marca La Mère Poulard (foto baixada do site http://www.merepoulard.fr)
O restaurante Les Terrasses de la Baie, também do grupo La Mère Poulard

“Convidamos os brasileiros a se hospedar e comer nos nossos estabelecimentos”, emendou Marie-Laure. “Provem nosso tradicional omelete, criado pela senhora Annette Poulard em 1888, que é frito no forno à lenha.”

Na capital paulista, a gerente de vendas do grupo francês estava junto com outros executivos de cidades da Normandia. O road show, que passou por outras cidades, foi organizado pela CC Hotels, de Christiane Chabes, que representa vários municípios normandos no Brasil.

Vale lembrar que o grupo também produz bolachinhas, com receitas originais da Mère Poulard, que são vendidas em uma loja na ilha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s