Casal investe em cerveja com DNA de Niterói

Casal investe em cerveja com DNA de Niterói

por Claudio Schapochnik

Grande parte dos brasileiros gosta de beber cerveja. Chamada pelos alemães de “pão líquido”, a bebida produzida além do circuito das gigantes do setor tem agradado o paladar de muita gente. Vendo este segmento como uma oportunidade de negócio em um Estado onde o consumo de cerveja é bastante grande, o casal Diego Verticchio, de 38 anos, e Tatiana Ferreira, de 35 anos, investiu na abertura da Malteca Cervejaria Artesanal meses atrás no bairro de Jurujuba, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Com assinatura do mestre-cervejeiro Vitor Perez, a empresa fabrica atualmente seis tipos de cerveja — cinco fixas (Cream Ale, Session IPA, Vienna Lager, Witbier e Pilsen) e uma sazonal (a de chocolate foi a primeira; no momento é a de café).

Outras duas inspirações do casal para entrar no negócio cervejeiro, ambos são formados na área de comunicação, foram a política de estímulo que Prefeitura Municipal de Niterói dá ao negócio da cerveja artesanal — “isso há muitos anos, é uma política de Estado”, salienta Verticchio — e uma bem sucedida carreira do cunhado dele com cerveja artesanal e um bier truck anos atrás.

“Meu cunhado fazia sua cerveja em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, numa fábrica só para terceiros, os ciganos —, como se diz no jargão do segmento. E desde aquela época, vimos também que há uma carência neste tipo de negócio na região metropolitana do Rio de Janeiro, ou seja, de oferecer infraestrutura para os ciganos”, explica Verticchio.

Com este insight, muita pesquisa de mercado, muito estudo do produto, cursos realizados, capital juntado e anos depois, a Malteca saiu do sonho para a realidade — para produzir a própria cerveja e a de ciganos.

No alto, a cerveja da Malteca e, acima, o casal proprietário da cervejaria artesanal, Tatiana e Verticchio (fotos divulgação)
A logomarca da empresa

O nome, enfatiza co-proprietário, reflete completamente o modelo de negócio adotada. “O nome Malteca vem de junção de ´malte´, um dos ingredientes da bebida, e ´teca´, o genérico para acervo. Ou seja, somos a Casa do Malte, ou seja, o acervo de malte para quem produz a cerveja”, explica ele.

“A Malteca Cervejaria Artesanal tem como propósito ser um coletivo cervejeiro, um espaço onde os ciganos se sintam em casa e possam usufruir de toda nossa infraestrutura, que inclui ainda uma área de co-working com conexão de internet para eles poderem trabalhar enquanto produzem suas cervejas; câmera fria onde suas produções poderão ser armazenadas, entre outras características”, emenda Tatiana.

Um dos cinco tipos fixos de cerveja da Malteca

PRODUÇÃO
Instalada num grande galpão antes era ocupado por uma conserveira de peixes, com uma grande câmara fria, a Malteca tem seis tanques, sendo cinco de 2 mil litros e um de mil litros. A produção começou no mês de junho passado. “Nossa capacidade é de 18 mil litros por mês, podendo armazenar até 11 mil litros de cerveja”, contabiliza Tatiana. “Também utilizamos outros quatro tanques fora de nossa fábrica”, emenda Verticchio.

Na liderança da produção está o mestre-cervejeiro Vitor Perez, paulista de Vargem Grande do Sul — distante cerca de 230 quilômetros ao Norte de São Paulo — e formado em engenharia agronômica. “Ele também estudou no Senai e, profissionalmente teve uma passagem pela cervejaria Mistura Clássica, de Angra dos Reis (RJ).”

A Malteca envasa as cervejas em barris, de 30 litros e 50 litros, em garrafas de vidro, que pode ser de 600 ml, 500 ml e 300 ml, e em garrafas pet (growler), de um litro. “Temos uma envasadora com capacidade para envasar até 280 garrafas de vidro por hora”, destaca Verticchio.

A embalagem growler, de um litro
O interior do galpão onde a Malteca é produzida
Cervejaria terá um bar próprio até o final de 2020

DISTRIBUIÇÃO
Com poucos meses de fabricação, a cervejaria conquistou inúmeros consumidores finais, bares e restaurantes em Niterói. “Entregamos na casa das pessoas e nos bares da cidade. Agora vamos atrás de um pessoa para o comercial, para que ele venda a bebida para mais estabelecimentos”, afirma Verticchio.

Atualmente os canais de venda são pelo Facebook, Instagram e Whats App (veja no final do texto). “Estamos construindo um site também, que fica pronto ainda em 2020.”

VISITAS GUIADAS E BAR
Como escrevi no início do texto, Diego Verticchio vem da área de comunicação. Jornalista especializado em turismo, trabalhou em dois dos mais importantes veículos do setor voltado ao profissionais da área — Mercado & Eventos e Panrotas. Então ele sabe bem da importância que o turismo tem para um destino.

A Malteca fez uma parceria com a agência de viagens Niterói Experience, que realiza viagens de experiência. “A ideia é recebermos de dez a 15 pessoas uma ou duas vezes por mês”, explica Verticchio. “Os visitantes vão conhecer todo o processo de produção da cerveja e, depois, poderão degustar as bebidas. Vamos ter ainda uma loja, que vai vender cervejas e acessórios.”

O casal Tatiana e Verticchio na fábrica da Malteca

Outro projeto do casal Verticchio e Tatiana é a abertura do bar da Malteca. Objetivo: promover a marca junto ao varejo. O estabelecimento não ficará na fábrica. “Serviremos toda a nossa linha e, para comer, teremos apenas petiscos como bolinho de bacalhau, pastéis etc.” Tanto a loja de fábrica quanto o bar devem estar funcionando até o final deste ano.

SERVIÇO:
Malteca Cervejaria
Whats App: (21) 98201-3875
Instagram, Facebook

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s