Mundial do Queijo do Brasil movimenta Araxá (MG)

Depois da premiação de 58 queijos brasileiros na quarta edição do Mondial du Fromage – um concurso que premiou os melhores queijos do mundo em Tours, na França –, Araxá (MG) sedia desde ontem (quinta, dia 8 de agosto) o Mundial do Queijo do Brasil.

O evento, que segue até sábado (dia 10) no Tauá Grande Hotel Termas de Araxá, tem por objetivo colocar queijos nacionais e internacionais lado a lado para premiar os melhores de acordo com um regulamento que contempla todas as famílias tecnológicas de fabricação: massa mole de casca florida, massa mole de casca lavada, massa prensada crua, massa prensada cozida, queijos azuis e massas filadas, dentre outras. Na foto acima queijos da Roça da Cidade, queijaria de São Roque de Minas, que integra a região da Serra da Canastra (Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

Para avaliar os queijos, um corpo de jurados de origem eclética, nacional e internacional está no hotel: produtores artesanais e industriais, curadores, comerciantes, pesquisadores, chefs de cozinha e jornalistas de gastronomia.

“É uma grande oportunidade para o Brasil mostrar a cultura queijeira e ser reconhecido pelos queijos de qualidade. Que isso abra as fronteiras para este produto, símbolo da nossa identidade cultural, girar o mundo encantando paladares”, destaca a jornalista Débora Pereira, que dirige a Associação Ser Tão Bras, que realiza o Mundial do Queijo do Brasil.

Débora é ainda mestre queijeira, jornalista da revista francesa Profession Fromager e autora do blog Só Queijo, no caderno Paladar do jornal O Estado de S.Paulo desde 2017.

Vista parcial do Tauá Grande Hotel Termas de Araxá (foto divulgação)
Logomarca do evento (imagem divulgação)

Na agenda do evento, além do concurso, estão jantares de gala, palestras, degustação, salão do queijo e dois capítulos especiais de cerimônia da Guilde Internationale des Fromagers.

O evento conta com convidados seletos, entre eles, Christelle Lorho, dona de uma elegante boutique de queijos em Estrasburgo (França) e renomada mestra queijeira; o presidente da Federação de Queijeiros da França, Claude Maret; e o embaixador do patrimônio queijeiro francês e presidente da Guilde Internationale des Fromagers, Roland Barthelemey.

Queijo da Fazenda Carnaúba, em Taperoá, na Paraíba (foto Débora Pereira)

Entre outros pontos, Araxá foi escolhida por estar em uma das regiões queijeiras de Minas Gerais, formada ainda por mais dez municípios: Campos Altos, Conquista, Ibiá, Pedrinópolis, Perdizes, Pratinha, Sacramento, Santa Juliana, Tapira e Uberaba.

Nesta região é produzido cerca de 1 milhão de litros de leite por dia, e 40% desta produção vai para a fabricação do queijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s