Importadora faz degustação de vinho kasher (SP)

por Claudio Schapochnik

Como uma forma de promover o conhecimento e o gosto pelos vinhos, sempre com certificação kasher ou kosher (ambos os nomes estão certos) e aproveitando a proximidade de Pessach (a Páscoa judaica), a Congregação Monte Sinai, em São Paulo, e a importadora Vinik promoveram uma degustação nesta segunda (dia 15 de abril). O evento, realizado no salão da sinagoga, foi liderado e apresentado pelo rabino David Azulay.

“O vinho tem um papel fundamental no judaísmo, em várias cerimônias”, explicou Azulay ao público. “O vinho alegra, deixa a pessoa feliz”, emendou ele.

No entanto, no judaísmo, é fundamental que o vinho esteja de acordo com as leis dietéticas – o conjunto destas normas recebe o nome de Cashrut.

O apreciador de vinhos Jack Lisbona (à dir.) fez os comentários sobre os vinhos na degustação (fotos Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)
O rabino David Azulay, da Congregação Monte Sinai, e Geicy Freilich Susyn e Jane Greiber Jerusalmy, ambas da importadora Vinik Bebidas

De acordo com o site da instituição religiosa judaica Beit Chabad, as palavras kasher e kosher “querem dizer a mesma coisa: um produto apto, apropriado ao consumo, isto é, que preenche todos os requisitos da dieta judaica”.

Segundo a tradição judaica, as leis da Cashrut foram outorgadas por Deus ao povo judeu no recebimento da Torá (o livro sagrado do judaísmo), no Monte Sinai.

O melhor da noite, na minha opinião, foi este californiano…
…que tem três certificações kasher

Para saber que o vinho está de acordo com a Cashrut, a pessoa tem de olhar no rótulo de trás da garrafa. Lá é o local onde está o selo – ou mais de um – que certifica o produto. Entre outros, um dos mais presentes é o OU, dos Estados Unidos. Segundo a OU, o selo certifica “mais de 1 milhão de produtos em todo o mundo”.

A certificação assegura ainda que um rabino supervisionou a produção da bebida.

Antes de cada degustação, o apreciador de vinhos Jack Lisbona fazia uma breve explicação.

O presentante de Israel na degustação…
…com quatro selos de certificação kasher

No evento, a Vinik trouxe cinco rótulos – todos com certificação kasher. Confira os vinhos: Freixenet Cava Excelencia Kosher (Espanha); Baron Herzog White Zinfandel 2017 (Califórnia, Estados Unidos), Siviano Meloso Red 2017 (Sicília, Itália); Royale Cabernet Sauvignon 2015 (França); e Dalton Shiraz 2016 (Galileia, Israel).

Destes cinco, adorei o Baron Herzog. Cor linda, suave e levemente doce.

O rabino Azulay com o coordenador de Alimentos e Bebidas Maurício Frenkiel e a gerente geral Golda Boruchowski, ambos do Hotel Tryp by Wyndham São Paulo Higienópolis
O rabino e Lisbona, que explicou os vinhos às pessoas na degustação

Especializada em vinhos kasher, a importadora Vinik vende os rótulos em sete pontos na cidade de São Paulo e também pela internet – por meio da Kosher Delivery. Para mais informações, clique aqui.

O rótulo francês…
…e as duas certificações kasher
O vinho siciliano…
…e os dois selos kasher

A Congregação Monte Sinai foi fundada por judeus libaneses que imigraram para São Paulo em 1928. A primeira sede foi no bairro da Mooca (Zona Leste da cidade), onde eles se fixaram. Com a mudança das famílias para outras regiões, sobretudo Avenida Paulista e Higienópolis, a congregação comprou um terreno neste bairro em 1971 – rua Piauí, 624. Lá que foi construída a nova sinagoga.

Os serviços religiosos são conduzidos pelos rabinos David Azulay e Yossef Sisro. David Salim Cohen é o presidente da instituição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s