Vinhos de vinhedos argentinos centenários chegam ao Brasil

Vinhos de vinhedos argentinos centenários chegam ao Brasil

Os agrônomos e enólogos argentinos Norberto Páez e Sebastián Bisole embarcarem na aventura de produzir seu próprio vinho resgatando métodos, tradições e vinhedos que fizeram parte da constituição da Argentina como uma das referências mundiais na produção de vinhos. Assim surgiu a vinícola Paso a Paso Wines, situada no famoso Vale do Uco, em Mendoza, que traz um conceito particular na produção vinícola.

Os diferenciais começam pelos vinhedos. Páez e Bisole literalmente “caçam” vinhedos centenários e esquecidos em busca de uvas antigas, esquecidas e que no passado eram muito comuns nos vinhos da região.

Em 2010, no início da Paso a Paso Wines, os proprietários descobriram em El Cepillo, San Carlos, um vinhedo de 72 anos com videiras da uva bonarda, usada por camponeses no passado na produção de vinhos artesanais e caseiros. Foi o passo inicial e primeiro vinho produzido pela dupla de enólogos.

O nome Paso a Paso não é à toa. Além da garimpagem de vinícolas esquecidas, algumas centenárias, os processos de produção do vinho, desde a colheita das uvas, passando pela fermentação, envelhecimento e engarrafamento, remetem aos processos tradicionais usados no passado, na busca por um vinho totalmente orgânico e menos industrial. Por ano, a Paso a Paso não produz mais que 5 mil garrafas.

No alto e acima, vinhos das duas linhas importadas da Paso a Paso Wines pela MMV (fotos divulgação)

NO BRASIL
A Paso a Paso Wines chegou ao Brasil por meio de uma parceria inédita e exclusiva com a MMV Importadora. Jonas Martins, também enólogo e diretor comercial da MMV, diz que o interesse pelos vinhos da Paso a Paso surgiu desde a primeira conversa com eles.

“São vinhos muito peculiares e especiais, exatamente o que procurávamos para o nosso portfólio, que tem o objetivo de trazer ao público brasileiro vinhos dessa qualidade”, ressalta Martins.

Uma das linhas trazidas pela MMV foi a Inmemorial Viñedo Ancestral, que remete às uvas “memoráveis” e chega com três blends diferentes. O Blend Blanco é um vinho branco composto por quatro uvas: a criolla grande e a pedro ximenes foram uvas trazidas pelos colonizadores espanhóis e “resgatadas” pela vinícola, a Moscatel Rosado, famosa pelos frisantes, e a torrontés, uva que surgiu na natureza do cruzamento da criolla e moscatel. “A combinação gera um vinho branco bastante refrescante e floral, com rusticidade, acidez elevada e boa persistência”, descreve Martins.

O Blend Rosé também é feito com as mesmas uvas do Blend Blanco, com o acréscimo da uva bonarda, ignorada por muito tempo pelos produtores por ser considerada uma uva colonial. “A bonarda dá o aspecto rosé ao vinho, que tem aromas complexos por conta da variedade de uvas, sendo rústico em boca e com acidez marcante”, analisa o enólogo e diretor comercial da MMV.

Ainda da linha Inmemorial, o Blend Tinto é composto pela famosa uva malbec junto da bonarda. “O objetivo deste vinho é unir presente e passado, conferindo ao consagrado Malbec um toque de rusticidade que remete aos vinhos do passado na Argentina. É untuoso em boca, com alta acidez e final de boca longa.”

Já a linha Barril por Barril vem em consonância com o nome da vinícola, Paso a Paso. Toda a linha é orgânica, não havendo produtos químicos na fermentação, além disso, as uvas vêm dos vinhedos “garimpados” por Norberto Páez e Sebastián Bisole. Também chegam em três rótulos diferentes.

O Barril por Barril Bonarda é composto 100% por esse tipo de uva e passa por nove meses de envelhecimento em barril de carvalho. “De cor violácea, em boca é estruturado e encorpado, muito redondo, com leve amargor e rusticidade. O Gran Bonarda e Petit Verdot é produzido com um blend 80% e 20%, apresentando taninos bem domados, estrutura em boca e um final longo, com um leve toque de baunilha”, conta Martins.

O cabernet franc, uva oriunda da França, tem pré-fermentação em ovos de concreto, como era feito antigamente na Argentina. “Isso faz com que o gás carbônico circule naturalmente durante a fermentação e movimente o vinho, que fica sem contato com o ambiente externo. O frescor do aroma faz referência ao método, sendo longo, maduro, um vinho para guarda.”

Segundo Jonas Martins, esses vinhos chegam com um ótimo preço ao mercado brasileiro, dada a extrema qualidade oriunda do cuidadoso processo de produção. “Os vinhos Barril por Barril ficam na casa dos R$ 200 a garrafa, mas facilmente competem com vinhos muito mais caros, tamanha a qualidade e valor agregado a esse produto tão especial.”

Os vinhos da Paso a Paso Wines podem ser encontrados no www.mmvinhos.shop.

Deixe uma resposta