Praias do Guarujá revelam várias paisagens

Praias do Guarujá (SP) revelam várias paisagens

por CLAUDIO SCHAPOCHNIK_Guarujá/SP*

A menos de 2h de São Paulo a ilha do Guarujá — sim, é uma ilha e na linda forma de um dragão — tem como principal cartão-postal um “cardápio” de 27 praias. Cada uma tem características singulares. Na minha viagem ao destino no litoral Sul paulista, revi oito praias (Guaiúba, Tombo, Astúrias, Pitangueiras, Enseada, Mar Casado, Pernambuco e Perequê) e conheci uma (Praia de Fora ou do Moisés). Portanto meu déficit continua grande e a favor da cidade.

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
No alto praticante de parapente salta do Mirante das Galhetas (fotos Visite Guarujá/Prefeitura Municipal do Guarujá) e, acima, o mapa do Guarujá, em vermelho, com o formato de um dragão (Google Maps)

Cada praia tem uma característica distinta, e essa multiplicidade dá ao turista a chance de escolher em qual tomar seu sol ou, se tiver mais pique, em quais vai tomar seu banho de mar. Dá para passar um mês por lá e conhecer quase uma praia por dia.

Fiz um city tour muito bacana, com um motorista super bacana, por essas praias citadas acima — exceto a de Fora ou do Moisés —, que me trouxeram muitas boas recordações e, mais uma vez, me mostraram a beleza do destino.

O tour começou na praia do Guaiúba (790 metros de extensão). Na minha idade atual, 51 anos, creio que escolheria essa pra passar a maior parte de um período de descanso por lá. Motivo: águas tranquilas, orla com muitas árvores e é cercada por morros cobertos de mata fechada. Atrás da faixa de asfalto não há edifícios, só casas de, no máximo, um pavimento além do térreo. Esse conjunto é uma delícia para os olhos.

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
Trecho da praia do Guaiúba (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

Para comer e beber, há barracas na praia e embaixo das árvores. Creio que ficam abertas nas temporadas, nos finais de semana, nos feriados e nos feriadões. Portanto, se você for fora desses períodos é melhor levar bebidas e algo pra comer ou, se der, ir a um dos excelentes bares e restaurantes da cidade.

Foi dessa praia que sai o passeio de canoa havaiana à praia Escondida ou do Moisés — acessível apenas pelo mar. Super recomendo. Para saber o motivo dessa minha avaliação, clique aqui.

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
A praia do Tombo, única Bandeira Azul do Estado de São Paulo

A próxima praia do passeio foi a do Tombo (900 metros de extensão). Aí a paisagem já mescla natureza com um belo morro à direita e, atrás do asfalto, uma fileira de prédios. Enfim, é um cenário mais urbanizado. Na orla há as barracas padronizadas, que na cidade são de alvenaria.

Um fato marcante e de orgulho do Tombo é que a praia tem o certificado internacional Bandeira Azul — concedido pela Foundation for Environmental Education (FEE), representada no Brasil pelo Instituto Ambientes em Rede. É a única do Estado de São Paulo a ter a certificação. Ter o selo Bandeira Azul, em resumo, atesta que a praia é limpa.

MIRANTE DAS GALHETAS
A melhor vista da praia do Tombo, de uma paisagem maravilhosa (mesmo sem sol, como foi o dia de minha visita), fica no fantástico Mirante das Galhetas. Com acesso pela praia vizinha, das Astúrias, foi inaugurado em maio passado no alto do Morro da Caixa D´água. A estrutura suspensa de aço e vidro fica a 45 metros do nível do mar.

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
O Mirante das Galhetas e a vista da praia do Tombo

Ah, lá a vista do Tombo e das cercanias é linda demais. Novo programa “obrigatório” pra quem visita o Guarujá. Dá um certo medo, que passa rapidinho, ao andar na plataforma de vidro.

O acesso é gratuito, há segurança, com a presença de guardas municipais, estacionamento para 14 carros e espaço para quem pratica voo livre. A atração abre diariamente, das 9h às 17h.

Junto ao acesso para o mirante há um mercado de peixes e frutos do mar. Vale a visita, mesmo se não for pra comprar, e ver as opções vendidas e pegar umas dicas.

Pertinho desse mercado começa a praia das Astúrias (1.100 metros de extensão), bem urbanizada e com muitos edifícios. No dia da visita estava bastante cheia. A praia segue até o icônico prédio do início dos anos 1950, o Sobre As Ondas — assinado pelo famoso arquiteto judeu-ucraniano Gregori Warchavchik (1896-1972).

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
A praia das Astúrias

Na maré baixa, dá pra caminhar na areia em frente ao Sobre As Ondas e, assim, alcançar a praia das Pitangueiras — a mais central e urbana da cidade (1.800 metros de extensão). Ah, ao passear por toda sua extensão me lembrei das várias temporadas de verão que passei lá na adolescência na década de 1980, com meus pais e demais familiares. Maravilhosos tempos…

Nas Pitangueiras a orla é toda de altos prédios e com muitas opções de bares e restaurantes, shoppings e lojas. A praia segue até o Morro da Campina, mais conhecido como Morro do Maluf. Essa montanha é que faz o limite com a praia seguinte, a da Enseada, com 5,6 quilômetros de extensão — a maior do Guarujá.

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
A praia das Pitangueiras

Por lá há outra atração “obrigatória” da cidade: o Mirante do Morro da Campina. Inaugurado há poucos anos, tem acesso para carros e pedestres, presença de guardas municipais e, quanto à vista, uau… Linda demais e de toda a extensão da praia da Enseada.

SEM PRÉDIOS ALTOS
Do Mirante do Morro da Campina dá pra constatar uma característica marcante da Enseada. Por causa da legislação municipal, os edifícios altos ficam bem atrás da avenida que margeia a praia. Numa determinada faixa, só são permitidos prédios de dois pavimentos.

A praia tem a larga da faixa de areia bem extensa e muito boa oferta de bares e restaurantes (para todos os bolsos), além das barracas de concreto com atendimento na areia.

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
A praia da Enseada vista do Mirante do Morro da Campina
Praias do Guarujá revelam várias paisagens
A praia do Mar Casado e trecho da praia de Pernambuco

As próximas praias, juntinhas, são a do Mar Casado (500 metros de extensão) e de Pernambuco (1.650 metros de extensão). A primeira recebe o nome pois, com a maré baixa, uma ilha em frente se une à praia, ficando “casada”. É muito bonita e vale a parada para o banho. Não tem barracas e é melhor levar algo para beber e comer.

Vizinha fica a praia de Pernambuco, também sem construções altas à beira da praia. Possui águas tranquilas e com ruas de acesso bem arborizadas.

A última praia desse city tour praiano foi a do Perequê (2.400 metros de extensão), que é totalmente voltada à pesca. Fica quilômetros depois de Pernambuco. Cercada de morros verdes e sem edifícios altos, tem o mar pontilhado por muitos barcos de pesca.

A ida ao píer dá para observar o litoral e fazer fotos bacanas dos barquinhos. Na avenida beira mar há várias opções de bares e restaurantes e um mercado que vende peixes e frutos do mar.

Praias do Guarujá revelam várias paisagens
A praia do Perequê

Para se ter uma ideia de como é grande a ilha do Guarujá, do Perequê até a balsa que une a cidade ao município de Bertioga, é necessário percorrer mais 16 quilômetros de estrada.

O city tour praiano pelo Guarujá, que gostooooooso, foi uma delícia, uma volta ao tempo. Super recomendo!

*A reportagem do QUE GOSTOSO! realizou o passeio a convite da Trip Guarujá; viagem a convite do Visite Guarujá e hospedagem no Hotel Vicino al Mare

Deixe uma resposta