Lisieux (França) tem basílica, queijos e calvados

por Claudio Schapochnik

No Departamento de Calvados, na região da Normandia (Norte da França), a pequena Lisieux (fala-se lisiê) oferece lugares para turistas com interesses religiosos (católicos) – a enorme Basílica de Santa Teresa de Lisieux – e em provar delícias locais, como queijos e calvados (destilado de maçã, com Denominação de Origem Controlada; foto acima divulgação).

Lisieux dista cerca de 200 quilômetros ao Norte de Paris e pode ser acessada por rodovia (2h) ou trem (1h30) desde a estação de Saint Lazare.

O principal cartão-postal da cidade: a Basílica de Santa Teresa de Lisieux (foto Escritório de Turismo de Lisieux)

Segunda cidade-santuário da França, depois de Lourdes, Lisieux recebe mais de um milhão de visitantes por ano – entre estes turistas muitos brasileiros. A grande atração por lá é a basílica em honra a Santa Teresa de Lisieux, construída entre 1929 e 1937 e consagrada em 1954. O prédio impressiona por fora e por dentro.

Marie-Françoise-Thérèse Martin (1873-1897), conhecida depois como Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, viveu parte de seus 24 anos em Lisieux, onde também morreu vítima de tuberculose.

Neste município normando, Santa Teresinha viveu no Mosteiro das Carmelitas – onde tornou-se freira carmelita descalça em 1888, com 15 anos. Depois de sua morte foram atribuídos muitos milagres na França e em outros países. Ela foi beatificada em 29 de abril de 1923 e canonizada em 17 de maio de 1925, pelo papa Pio 11.

Foto de Marie-Françoise-Thérèse Martin (1873-1897), na basílica (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)
A basílica é enorme e possui muita arte sacra, sobretudo com figuras bem coloridas feitas a partir da técnica do mosaico (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

Lisieux é a única cidade do mundo com três santos da mesma família”, destacou a gerente de Promoção do Escritório de Turismo de Lisieux, Sandrine Papini, em recente viagem ao Brasil, onde reuniu-se com jornalistas em São Paulo. Os pais da santa foram canonizados pelo papa Francisco em 2015, respectivamente, como Santa Zélia e Santo Luís Martin.

Na capital paulista, Sandrine estava junto com outros executivos de cidades da Normandia, em um evento organizado pela CC Hotels, de Christiane Chabes, que representa vários municípios normandos no Brasil.

A gerente de Promoção do Escritório de Turismo de Lisieux, Sandrine Papini (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

TURISMO GASTRONÔMICO: QUEIJOS E BEBIDAS
Depois de visitar a basílica e outros prédios ligados à história de Santa Teresa de Lisieux, “o turista pode conhecer o centro de nossa simpática cidade e provar, em um dos restaurantes, uma receita local – o poulet d´auge (frango com molho branco)”, sugeriu Sandrine. “Como sobremesa, devem provar nossa torta de maçã.”

Nos arredores de Lisieux há muito o que fazer quando o tema é turismo gastronômico, como visitas em propriedades e almoços em restaurantes no campo. Há ainda Château de Canon, do século 18, que vale a visita também pelo lindo jardim que possui. Pertence à mesma família desde a construção.

Vista aérea parcial do Château de Canon (foto divulgação)
Parte dos jardins do Château de Canon (foto divulgação)
Os jardins vistos de cima

“Mas se você estiver no sábado em Lisieux, vale muito a pena passear pela manhã no mercado local, um dos mais importantes da região”, enfatizou Christiane.

A 20 minutos de carro de Lisieux, dá para visitar a Fromagerie E. Graindorge, fundada em 1910, na cidadezinha de Livarot. A empresa recebe turistas de todo o mundo, e o tour tradicional é gratuito. Pode ser feito em vários idiomas, incluindo o português.

A queijaria E. Graindorge produz queijos com leite cru de vaca da raça normanda (mínimo de 50%), produzidos por 120 produtores localizados nas vizinhanças.

Entre os queijos com Denominação de Origem Controlada, a E. Graindorge produz os DOCs Livarot, Pont-L´Evêque, Camembert de Normandie e Neufchâtel – para saber as características, clique aqui. A casa fabrica também oito qualidades de queijo desenvolvidas na propriedade. Tudo está à venda na loja da queijaria.

Um dos queijos com Denominação de Origem Controlada produzido pela queijaria (foto E.Graindorge)
A loja da queijaria (foto divulgação)
Queijos desenvolvidos pela E.Graindorge)

Em relação às bebidas, a região soma vários produtores de bebidas à base de maçãs – fruta muito cultivada na Normandia: pommeau, mistura de suco de maçã e aguardente de maçã; cidra, fermentado da fruta; calvados, destilado de maçã; e poiré, fermentado de pêra.

Macieiras da Pierre Huet (foto divulgação)
Alguns dos calvados da Pierre Huet (foto divulgação)

Um dos mais tradicionais produtores destas bebidas, entre outras, é a Pierre Huet (foto no início do texto, um dos calvados produzidos pela casa). A casa fundada em 1865 está situada em Cambremer, a 15 quilômetros de Lisieux. A propriedade faz parte da Rota da Cidra.

A Pierre Huet recebe turistas em visitas individuais e em grupos. Para informações de dias, horários e tarifas, clique aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s