Cerveja Weihenstephan integra portfólio da Interfood

A cervejaria mais antiga do mundo em atividade, Weihenstephan, da Baviera, no Sul da Alemanha, está de casa nova no Brasil. A tradicional marca estreou no portfólio da importadora Interfood com quatro rótulos: Weihenstephaner Weissbier, Weihenstephaner Dunkel, Weihenstephaner Vitus e Weihenstephaner Original Helles.

Segundo a Interfood, “todas as cervejas estão disponíveis em garrafas de 500 ml e podem ser encontradas no Empório Alto dos Pinheiro e no Todo Vino. O valor sugerido é de R$ 27,90 cada”. Há ainda a Hefeweiss e a Vitus em opção de chopp.

Confira abaixo as características dos quatro rótulos, de acordo com a Interfood:

Weihenstephaner Vitus
“A Vitus possui coloração dourada com reflexos alaranjados, turva, com boa formação de espuma branca densa e cremosa. No aroma, intensas notas de damasco, frutas cítricas, cravo e toques de banana. No paladar, é encorpada, macia, cremosa, com carbonatação efervescente e final prolongado.”

Weihenstephaner Weissbier
“Já a Weissbier também possui coloração dourada, porém naturalmente turva, com boa formação de espuma branca. No aroma, apresenta notas de cravo, banana e pão. Possui corpo cremoso, macio, com boa carbonatação e final muito refrescante.”

Weihenstephaner Dunkel
“A Dunkel possui coloração âmbar escura, turva e com espuma abundante. Aromas de caramelo, frutas secas, leve tosta e banana madura. Paladar macio, corpo alto, boa carbonatação.”

Weihenstephaner Original Helles
“Com a Original Helles a coloração é amarelo clara, límpido, brilhante, com boa formação de espuma branca. Apresenta notas florais, levemente condimentadas e um toque gramíneo. Na boca, possui boa carbonatação, corpo leve, final seco e muito refrescante.”

FUNDADA EM 1040
Fundada em 1040 por monges e reconstruída quatro vezes durante as grandes guerras medievais, a cervejaria Weihenstephan localiza-se no topo da colina Weihenstephan, em Freising, cidade que fica a 30 quilômetros de Munique, na Baviera.

Inicialmente, as atividades do mosteiro se baseavam no plantio de lúpulo e a cerveja artesanal era direcionada apenas para o consumo dos monges, sendo produzida depois também para o comércio. Já em 1921, a Weihenstephaner passou a ter seu nome atual: Bayerische Staatbrauerei Weihenstephan (Cervejaria Weihenstephan Estadual da Baviera). Atualmente, a cervejaria abriga a Universidade Técnica de Munique, que possui o maior acervo de leveduras do mundo, com um extenso banco genético mundial de leveduras e serve para abastecer diversas cervejarias ao redor do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s