Centenário da Bauhaus agita Alemanha este ano

por Claudio Schapochnik

Você vai viajar para a Alemanha, este maravilhoso país, neste ano de 2019 e gosta de cultura? A dica é aproveitar a extensa programação relativa ao centenário da Bauhaus, escola artística e de design – que influencia os artistas até hoje – criada pelo arquiteto alemão Walter Gropius (1883-1969). Foi fechada pelos nazistas na década de 1930. Diversas cidades, sobretudo Weimar (onde a escola foi fundada), Dessau e Berlim, oferecem mostras que abordam variados aspectos da Bauhaus.

O lançamento da agenda do centenário da Bauhaus foi apresentado à imprensa, na capital paulista recentemente, na residência do Consulado Geral da Alemanha em São Paulo, no Jardim Europa.

O cônsul geral Axel Zeidler e o cônsul para assuntos Políticos e de Cultura da Alemanha em São Paulo, Paul Gustaf Leonhardt no evento do centenário da Bauhaus (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)
A diretora de Vendas Brasil da Lufthansa, Annette Taeuber, e a diretora do Centro de Turismo Alemão na América do Sul, Margaret Grantham, no evento dos 100 anos da Bauhaus (foto Claudio Schapochnik/Que Gostoso!)

“O aniversário da fundação da Bauhaus é ideal para consolidar a posição da Alemanha como o destino cultural número um para os europeus”, explica a CEO do Centro de Turismo Alemão, Petra Hedorfer, sobre o lançamento da campanha do centenário da escola. “Por meio do uso de tecnologias digitais e formatos inovadores de eventos, destacamos a herança viva do movimento Bauhaus na Alemanha”, emenda ela.

Confira abaixo as dicas para melhor aproveitar o importante ano temático:

Peça dos centenário do movimento artístico (imagem Bauhaus100.de)

WEIMAR
Localizada no Estado da Turíngia, Weimar é uma cidade super ligada às artes. Lá viveram os escritores Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832) e Johann Christoph Friedrich von Schiller (1759-1805), o filósofo Friedrich Nietzsche (1844-1900) e os músicos Johann Sebastian Bach (1685-1750) e Franz Liszt (1811-1886).

Esta ligação íntima da cidade com as artes teve início com a duquesa Anna Amalia (1739-1807), que levou para Weimar poetas e pensadores. Deste período áureo há prédios e parques que podem ser visitados até hoje, como as residências de Goethe (em Frauenplan) e Schiller, os castelos Belvedere, Ettersburg e Tiefurt, com os parques, a famosa biblioteca Herzogin Anna Amalia etc.

O Museu Bauhaus, em Weimar (foto Andrew Alberts)
O interior do Museu Bauhaus em Weimar (foto Andrew Alberts)

Depois ou antes de conhecer estes lugares, desbrave a Weimar ligada à Bauhaus. O mais nova joia da cidade é o recém inaugurado Museu da Bauhaus, aberto ao público no início do mês passado.

“O novo museu minimalista, focado na fase inicial da escola fundada por Walter Gropius, tem o formato de um cubo, com uma ´impressionante iluminação noturna´, apresentando a coleção mais antiga da Bauhaus, com mais de mil objetos num espaço de 2,2 mil metros quadrados, revela a Fundação Klassik de Weimar”, informou a Deutsche Welle.

Para comer na cidade uma dica é o restaurante Zum weißenSchwan, quase em frente à casa de Goethe. Dizem que o poeta tomava um copo de vinho de vez em quando por lá.

DESSAU
Situado no Estado da Saxônia-Anhalt, Dessau entrou na histórica da Bauhaus em 1925, quando a escola se mudou de Weimar, até 1932.

No dia 8 de setembro será inaugurado o Museu Bauhaus Dessau, com acervo estimado em 49 mil peças, o ponto alto da agenda de celebrações do centenário da escola. A obra vai consumir um total de € 28 milhões – mais de R$ 100 milhões.

Perspectiva artística do futuro museu sobre a Bauhaus em Dessau (imagem Fundação Bauhaus Dessau)
Prédio em Dessau projetado por Walter Gropius em 1926 (foto T.Franzen)

“Pela primeira vez, a coleção da Bauhaus Dessau Foundation estará em exibição e, ao mesmo tempo, o museu conectará os edifícios da Bauhaus em Dessau como um local independente e contemporâneo”, explica a prefeitura da cidade.

Dessau oferece ainda o castelo de Wörlitz, construído entre 1769 e 1773, mais de cem monumentos arquitetônicos e parques.

Detalhe do restaurante Kornhaus (foto Christoph Petras 2011), com o rio Elba

Para comer na cidade, uma dica é ir ao restaurante Kornhaus, com vista ao rio Elba (imagem no início do texto/foto Stiftung Bauhaus Dessau 2008/Darren Ritzau). O prédio estilo bauhaus foi projetado pelo arquiteto alemão Carl Fieger (1893-1960).

BERLIM
Fantástica e fascinante, Berlim tem uma ligação íntima com a Bauhaus: a escola funcionou por lá apenas um ano, de 1932 a 1933, quando os nazistas a fecharam, e vários artistas da escola viveram na capital do país. Em Berlim, eles assinaram projetos de alguns conjuntos habitacionais.

Ao longo de 2019, a celebração mostra os mais diferentes ângulos dessa escola e da herança deixada em exposições e roteiros. A lista pode ser consultada clicando aqui.

O prédio da Filarmônica de Berlim, no estilo bauhaus (foto Visit Berlin)

A partir de 6 de setembro, o público poderá ir à exposição Bauhaus Original, na Berlinische Galerie, dedicada à relação entre original e em série, original e reprodução. Os visitantes poderão admirar clássicos do design, bem como as reedições de hoje das obras da Bauhaus e respostas de artistas contemporâneos aos ícones do modernismo.

Segundo o site do Visit Berlin, há uma lugar que une uma coisa gostosa de se comer à escola de artes. É a loja de chocolates Erich Hamann, no bairro de Wilmersdorf , que possui “estilo Bauhaus”.

Para mais informações, acesse o site www.bauhaus100.de. Há ainda um roteiro que passa por toda a Alemanha, onde estão cidades com obras Bauhaus. Confira: www.grandtourdermoderne.de.

BAUHAUS E A GASTRONOMIA
Que belíssimo trabalho! A fotógrafa britânica Nicola “Nicky” Walsh e o estilista de alimentos alemão Max Faber, que trabalham juntos (site), fizeram a união do design e da alimentação.

“Eles organizaram uma sessão de fotos construindo ´pinturas´ com temática da Bauhaus, que deixariam Walter Gropius orgulhoso, e talvez faminto”, escreveu o jornalista James Bartolacci no blog do site Architizer.

Sobremesa na criação de Nicky e Faber (foto de Nicky Walsh)
Canapés no estilo bauhaus, de Nicky e Faber (foto Nicky Walsh)
Doce no estilo bauhaus de Nicky e Faber (foto Nicky Walsh)

“Nos arranjos meticulosos de Nicky e Faber, as formas e linhas geométricas bidimensionais são substituídas por kiwis picados, respingos de geleia e vagens verdes picadas. Servindo bandejas e pratos de jantar fornecem os cenários das criações, semelhantes aos planos de cores vistos nas pinturas da Bauhaus. Para algumas das fotografias, os artistas trouxeram a Bauhaus para a terceira dimensão (muito parecida com design de móveis), colocando aperitivos pequenos em pedestais de vidro transparente”, escreveu Bartolacci.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s