Fundação Dorina Nowill para Cegos faz feijuca beneficente

A Fundação Dorina Nowill para Cegos realiza no dia 10 de novembro, no restaurante Oliva Preta, em São Paulo, a quarta edição da Feijoada do Bem. Neste ano a dama da inclusão, Dorina de Gouvêa Nowill, completaria 100 anos. Na foto acima (divulgação), o eveno em 2018.

Com início ao meio dia, o evento beneficente tem como meta angariar recursos para viabilizar a manutenção dos serviços prestados gratuitamente às pessoas com deficiência visual e suas famílias. “Além de saborear um prato delicioso, os presentes vão poder ajudar a fundação, contribuindo para melhorar a qualidade de vida das pessoas que nos procuram”, explica o superintendente executivo da Fundação Dorina Nowill para Cegos, Alexandre Munck.

Quem adquirir os convites terá direito a uma cartela de bingo, além do cardápio completo: feijoada com carnes selecionadas e cozidas em baixa temperatura, arroz, couve manteiga, linguiça toscana, surpresa de banana, farofa especial, molho levemente picante e laranja. Para completar: água mineral com e sem gás, refrigerantes, sucos, cervejas e caipirinhas.

Evento é beneficente (imagem e fotos divulgação)

FUNDAÇÃO SÉRIA
Há mais de 70 anos, a Fundação Dorina Nowill para Cegos trabalha para que crianças, jovens, adultos e idosos cegos e com baixa visão sejam incluídos em diferentes cenários sociais. A instituição oferece serviços gratuitos e especializados de habilitação e reabilitação, dentre eles orientação e mobilidade e clínica de visão subnormal, além de programas de inclusão educacional e profissional.

Responsável por um dos maiores parques gráficos de braille no mundo, com capacidade de impressão de até 450 mil páginas no sistema por dia, a Fundação Dorina Nowill para Cegos é referência na produção e distribuição de materiais nos formatos acessíveis braille, áudio, impressão em fonte ampliada e digital acessível, incluindo o envio gratuito de livros para milhares de escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil.

Dorina Nowill

Dorina, nascida em maio de 1919 na capital paulista, ficou cega repentinamente, aos 17 anos, em consequência de uma doença não diagnosticada. A partir da perda completa da visão, ela começava a fazer história e a construir os pilares da instituição que, no futuro, levaria seu nome e sua causa. Ela foi a primeira aluna cega a frequentar um curso regular no Brasil. Posteriormente, viajou para os Estados Unidos, onde fez cursos de especialização na Michigan State Normal School e no Teacher´s College. De volta ao País, percebendo a carência de livros em braille, criou a então Fundação para o Livro do Cego no Brasil, atual Fundação Dorina Nowill para Cegos, que iniciou suas atividades em 1946. A fundadora faleceu em agosto de 2010, aos 91 anos.

SERVIÇO:
Fundação Dorina Nowill – 4ª Feijoada do Bem
Local: Restaurante Oliva Preta
Endereço: Avenida das Nações Unidas, 13.797, Cj. Morumbi, Bl. 2 e 3, São Paulo/SP
Horário: das 12 às 17h
Ingressos: entre R$ 60 e R$ 150
Vendas pelo www.fdnc.org/dobem
www.fundacaodorina.org.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s