Em setembro, resort Ponta dos Ganchos (SC) destaca ostras

Em setembro, resort Ponta dos Ganchos (SC) destaca ostras

Para comemorar o período do ano de maior produção de ostras no Estado de Santa Catarina, o Ponta dos Ganchos Exclusive Resort, membro da The Leading Hotels of the World na cidade de Governador Celso Ramos (SC), apresenta novamente uma experiência gastronômica especial durante este mês de setembro. Sob a liderança do chef executivo José Nero, o hotel prepara um menu de quatro entradas, quatro pratos principais e três sobremesas que valorizam a ostra como ingrediente principal.

No alto, um dos pratos com ostras do menu especial do resort catarinense e, acima, o chef executivo do hotel, José Nero (fotos divulgação)

Entre as criações do chef Nero para esta edição está o ceviche de ostras baby com tucupi e pimenta dedo-de-moça, receita que encantou no ano passado, e novidades como o blanquette de ostras com leite de coco, capim santo, cogumelo paris e purê de cará – esta, dedicado ao francês Laurent Suaudeau, um dos ícones da gastronomia franco-brasileira, com quem ele já trabalhou no resort quando Suaudeau foi chef consultor.

O cardápio com pratos elaborados com a iguaria é complementar ao à la parte do restaurante, que segue como sugestão durante a hospedagem.

WORKSHOP
Para os hóspedes do resort que se interessarem e quiserem saber mais sobre o cultivo das ostras – oficialmente chamado de malacocultura – no Estado de Santa Catarina, reconhecido como o maior fornecedor do molusco no País, com 95% da produção nacional, o hotel organizou um workshop sobre o tema com o chef Nero e Vanessa Nascimento, uma expert na área e engenheira de aquicultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Vista aérea parcial do hotel

“Queremos contar um pouco sobre como o Estado começou a se destacar na produção sustentável da ostra, quais são os tipos encontradas por aqui e porque elas se adaptaram tão bem”, adianta ele.

Sabe-se que o clima e as águas do litoral catarinense, mais frias e ricas em microalgas, são alguns dos motivos para o sucesso do cultivo da Crassostrea gigas – ostra de origem japonesa e a mais consumida no Brasil. “Mas também queremos falar sobre a ostra nativa da região, que já faz parte do nosso menu. Menor, com sabor mais suave e adocicado, chamo ela de ostra baby”, finaliza o chef Nero.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s